• Voltar

    Prática de exercícios ajuda a sobreviver a um infarto

    Trata-se de uma recomendação da ciência: a atividade física, além de reduzir o risco de um ataque cardíaco, aumenta a chance de sobrevida após a ocorrência do infarto.

     

    Cerca de 2.000 pacientes participaram da pesquisa, que foi feita por pesquisadores do Sistema de Saúde Henry Ford, em Detroit, e da Universidade Johns Hopkins, em Baltimore, ambos nos Estados Unidos. Eles estavam sendo acompanhados há alguns anos e comprovou-se que quem, além de ter a probabilidade de sofrer infarto reduzida, estaria mais propenso a sobreviver após isso acontecer.

     

    O estudo, recentemente publicado no periódico científico Mayo Clinic Proceedings, mostrou que quem pratica exercícios físicos regularmente tem até 40% de chances a mais de sobreviver a um ataque cardíaco.

     

    O equivalente metabólico (MET) foi a escala utilizada para medir a aptidão física dos participantes, que varia de 1 a 12. Quanto menor o número, menor é a movimentação física – e maiores os riscos. Quanto maior, mais preparado fisicamente está o participante e maiores são suas probabilidades de passar por um episódio de infarto.

     

    Então, hora de levantar do sofá e começar a se exercitar. E não é necessário correr para a academia ou participar de maratonas. Comece com caminhadas leves e mantenha a frequência. Isso poderá salvar sua vida!

    Voltar
 

Unidades

Encontre uma unidade próxima de você

 

Índice: Mapa de Localização.